Nuno Aníbal Figueiredo – Direção/ Produção

Doutorando em Arte Contemporânea pelo Colégio das Artes – Universidade de Coimbra, foi docente universitário no IADE – Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing (2005-14) e na Universidade Autónoma de Lisboa (2000-05), onde se licenciou em Ciências da Comunicação. Foi jornalista, editor e crítico de cinema (O Independente, DNa Diário de Notícias, A Capital).

Membro da direção da Associação e Editora Número – Arte e Cultura desde 2002, dirigiu e programou os eventos Número Projecta – Festival Internacional de Artes Multimédia, Cinema e Música (Lisboa, 2006-08), Festival Português – Festival Internacional de Artes e Cultura Portuguesa (Londres 2002-03, Barcelona 2004, Paris 2005, Madrid 2006 e Berlim 2007) e Interferências – Mostra Pública de Arte (Lisboa e Porto, 2010-12).

No âmbito da arte contemporânea, tem sido responsável pela organização e comissariado de diversas exposições (Políptico, Onde é a China ou Trienal no Alentejo). É ainda editor e co-autor de livros e revistas.

 

José Luís Neto – Direção Artística/ Artista participante

Nasceu em Sátão, Viseu, em 1966. Formou-se no Ar.Co, em Lisboa, onde fez o Plano Completo de Fotografia, completando os estudos em 1991, em Londres, no Royal College of Art.

Expõe regularmente em Portugal e no estrangeiro desde o início dos anos 90. Entre as exposições individuais, contam-se: 22474, Centro Português de Fotografia, Porto, 2003; Anónimo, LisboaPhoto 2005, MNAA; Continuum, CAMJAP – Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2005; High Speed Press Plate, Lisboa 20 Arte Contemporânea, 2006, e Circulo de Bellas Artes, Madrid, 2007; Open in Total Darkness, Arquivo Municipal de Lisboa, 2012; July 1984, Galeria Miguel Nabinho, Lisboa, 2012; Re-Turn, Anozero – Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra, Círculo Sereia, 2014; Pure Emulsion, Centro de Artes Visuais/CAV, Coimbra, 2018.

Tem recebido vários prémios, entre os quais o Prémio BES Photo 2005. É atualmente professor de Projeto Artístico no Curso de Fotografia e Cultura Visual do IADE–U, em Lisboa, e na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa.

 

Claudia Fischer – Artista participante

Nasceu em Jena, Alemanha, em 1969. Vive e trabalha em Lisboa. Estudou fotografia no Kent Institute of Art & Design, Rochester, e no Bournemouth College of Art & Design (RU) e fotografia e arte dos media no Hochshule Fur Grafik und Buchkunst, Academia de Artes Visuais de Leipzig, Alemanha. Em 2005 completa o Mestrado em Belas Artes pela Bauhaus Universität, em Weimar, Alemanha, e Oxford Brookes University (RU).

Das suas exposições individuais destacam-se: Personal Belongings, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa (2007); Heimische Arten, Gallery Loris, Berlim (2009); Inventur, Gallery Loris (2010); Bodenlos, Gallery Schöning, Frankfurt a. Main (2011); Kostbare Fracht, Gallery Loris (2012); Verankern, St. Augustine’s Church, Gotha (2014); Anderswo, Jenaer Kunstverein, Jena (2014); Ausloten, Galeria Belo-Galsterer, Lisboa (2015).

Em Portugal, participou em coletivas na Galeria Luís Serpa Projectos, Carpe Diem Arte e Pesquisa, Museu Nogueira da Silva ou Galeria Municipal do Porto.

 

Daniel Malhão – Artista participante

Nasceu em Lisboa em 1971. Frequentou a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Concluiu o Curso Completo de Fotografia no Ar.Co entre 1995 e 2000, tendo participado no programa de intercâmbio com The School of the Art Institute of Chicago, para o qual contou com Bolsa da FLAD. Em 2005 participou no Programa Gulbenkian de Criatividade e Criação Artística (Fotografia).

Tem exibido o seu trabalho em diversas exposições, individuais e coletivas, nacionais e internacionais, estando representado em diversas coleções particulares e institucionais, com destaque para as individuais na galeria Baginski (2003 e 2005), Vera Cortês – Agência de Arte (2004 e 2006), Cristina Guerra – Contemporary Art (2008 e 2011), Centro de Artes Visuais (2012-13) e Centro Cultural de Belém (2014). Foi nomeado para o Prémio BES Photo 2007.

Desde 2008 que tem exercido atividade docente em diversas instituições de ensino cooperativo artístico e superior.

 

Isabel Aboim Inglez – Artista participante

Nasceu em 1971. Licenciou-se pela Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa. É doutorada em Cinema/Desenho pela Universidade Politécnica de Valência. É professora nas áreas de Fotografia/Audiovisual e Projeto na ESAD.CR – Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (IPL) desde 2005.

Tem na imagem (desenho, luz, desenho de luz, fotografia, cinematografia) a sua formação e a sua atividade, seja ela académica ou de criação, desenvolvendo trabalho nas áreas da ilustração, fotografia, animação, direção de fotografia, câmara, iluminação para teatro e realização.

Da sua filmografia como realizadora de cinema de animação, constam: De Cabeça Perdida (1999); Táxi! (2001); Selo ou Não Sê-lo (2005); Vacas (2010); Do Céu e da Terra (2012). Nas exposições de fotografia em que participou, incluem-se: Casabsoluta, Arquivo Municipal de Lisboa / Fotográfico (2010); Transparências (Projeto de Apoio à Criação Artística da Fundação Calouste Gulbenkian), Pickpocket Gallery, Lisboa (2011); Imagem entre Imagens (coletiva), Arquivo Municipal de Lisboa / Fotográfico (2013); Um, dois, três, quatro, cinco (coletiva), Céu de Vidro, Caldas da Rainha (2018); ARCO (parte A), Biblioteca Camões, Lisboa (2018); ARCO (parte B) – “et pur si muove”, Quase Galeria, Porto (2018).

 

Luciana Fina – Artista participante

Nasceu em Bari, Itália. Vive e trabalha em Lisboa. Após formação universitária em literatura portuguesa, dedica-se à programação cultural. Colabora com a Cinemateca Portuguesa e outras instituições em Portugal, Itália, França e Brasil.

Em 1998 realiza o seu primeiro filme documentário (A Audiência). Utilizando diversos media, concentra a sua criação em torno dos temas do nomadismo e do interculturalismo, e na pesquisa sobre a relação do cinema com as outras artes. Foca por fim questões relativas à representação no retrato, ao tempo de exposição, à relação com o modelo e as suas consequências.

São essas instalações de galerias de retratos filmados que já se apresentaram em múltiplos espaços e contextos: Museu de Serralves (2002), Centro Cultural de Belém (2003), L’Officina/ Festival Dansem, Marselha (2004), Festival Temps d’Images, Museu do Chiado (2005) e Espaço Alkantara (2009) ou Festival Escena Contemporanea, Matadero, Madrid (2012).

 

Pedro Guimarães (XYZ Books/ A Ilha) – Artista participante

Nasceu em 1977, em Braga. É fotógrafo freelancer desde 2004, tendo publicado em Portugal, mas também pela imprensa estrangeira, destacando-se, entre outras colaborações, o semanário Expresso, Jornal de Notícias, National Geographic, Monocle, New York Times, Financial Times, Wall Street Journal.

Começou, de forma autodidata, a sua formação em Fotografia em 2000. Foi bolseiro da Fundação Oriente, em 2006, para a produção de um projeto em países do Extremo Oriente. A obra, intitulada Nova China, foi publicada na revista da Fundação Oriente. Não parou desde aí de desenvolver um trabalho mais pessoal, tendo publicado vários livros de autor. O mais recente, How to Fly, uma “viagem poética pela subcultura da aviação privada”, foi finalista do prémio PhotoEspaña 2018, na categoria “Melhor Livro de Fotografia”.

Faz parte do coletivo XYZ Books e é co-fundador de A Ilha com Tiago Casanova.

 

Pedro Loureiro – Artista participante

Nasceu em 1969. De 1989 a 1991 estudou fotografia em Paris, na M12: École des Arts et Métiers de l’Image. Como fotojornalista, integrou vários projetos jornalísticos, com relevo para publicações como o semanário O Independente, o suplemento DNa e a revista Grande Reportagem. Foi responsável por um projeto editorial de comemoração do Centenário da Implantação da República, publicado no Diário de Notícias ao longo do ano de 2010. Foi ainda membro da Kameraphoto, agência de fotógrafos portuguesa.

A sua principal exposição individual, Fotografias 94-05 (Plataforma Revólver, Lisboa), reuniu fotos captadas ao longo das múltiplas viagens de trabalho realizadas pelo autor durante esse período pelo mundo.

 

Rui & Gonçalo Viana Pereira – Artistas participantes

Rui Viana Pereira nasceu em 1952, em Lisboa. Trabalha desde 1990 na concepção de bandas sonoras, captação, edição e desenho de som, aplicando as linguagens musicais clássica, eletrónica, digital e concreta. Afirma-se como autodidata. No plano do som, 20 anos de guitarra clássica, seguidos de súbito fastio, desaguaram na conversão definitiva às linguagens sonoras contemporâneas. Seguiu-se a aprendizagem da música concreta e eletrónica. Por fim, uma paixão assolapada pela sonoplastia e pela criação de ambientes sonoros, à mistura com aventuras multimédia e vídeo.

O trabalho de Rui Viana tem incidido sobretudo no esforço para “impingir” aos autores com quem faz parceria alguns dos conceitos sonoros da contemporaneidade: sonoplastia, sound design, aplicação pluridisciplinar do som, antropologia do som. São alguns dos seus parceiros de criação multidisciplinar: Carlota Lagido, Clara Games, Fernando Fadigaz, Francisco Camacho, Rui Otero, Leonor Areal, Sofia Borges, Sofia Silva, Teresa Prima, Tiago Jorge ou Ubiquidade.

Gonçalo Viana Pereira nasceu em 1974, em Lisboa. É autor, tradutor, redator publicitário.

 

Tiago Casanova (XYZ Books/ A Ilha) – Artista participante

Nasceu em 1988, na Madeira. Foi enquanto estudante na FAUP – Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto que começou o seu particular interesse por fotografia e arquitetura. Colaborou com o CCRE (Centro de Comunicação e Representação Espacial), tendo organizado entre 2008-09 o 1º e 2º ciclos dedicados à “Fotografia na Arquitectura” e o FAUP Architectural Photography Award.

Colabora com várias revistas e expõe regularmente desde 2006. Em 2012, ganhou o Prémio BES Revelação de Fotografia, além de uma Menção Honrosa no Novos Talentos FNAC Fotografia. O seu trabalho integrou em 2014 a seleção da Plat(t)form – Fotomuseum Winterthur.

Faz parte do coletivo XYZ Books e é co-fundador de A Ilha com Pedro Guimarães.

 

Joana Durães – Direção de Arte/ Design

Joana Durães (Lisboa, 1986) é designer gráfica licenciada em Design de Comunicação na Faculdade de Belas Artes de Lisboa.

Colaborou com a Drome Magazine em Roma, Itália, e foi bolseira da Fundação Oriente na residência da nova Academia de Collotype no Atelier Benrido em Quioto, no Japão. Desenvolveu diversos trabalhos no contexto cultural com museus, instituições públicas, associações culturais e editoras independentes no desenvolvimento de identidades gráficas, exposições e livros.

Nas diversas colaborações destaca-se o MNAC — Museu Nacional de Arte Contemporânea, MAAT — Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, Fundação EDP, São Luiz Teatro Municipal, Editora Bertrand, Editora Documenta e XYZ Books. A sua prática engloba design editorial, desenvolvimento de identidades visuais, design de exposição e web design.

 

Rodrigo Bettencourt da Câmara – Direção Técnica/ Montagem

Licenciado em Conservação e Restauro pela Escola Superior de Conservação e Restauro e em Arte e Multimédia pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa.

Através da Art Dispersion, colabora em Portugal e no estrangeiro na montagem e restauro de exposições do Museu e da Coleção Berardo, atividade que desenvolve também para a Fundação Calouste Gulbenkian, entre outras instituições, e para as principais galerias portuguesas, tais como Graça Brandão, Pedro Oliveira ou Cristina Guerra – Contemporary Art.

É ainda artista e fotógrafo, com um olhar que é simultaneamente de autor e produtor, vivendo, por isso, particularmente atento aos bastidores, ao processo técnico e artístico anterior à sua materialização pública. Nesse domínio, possui um extenso currículo no processo de fotografia de obras artísticas, quer para exposições quer para catálogos e edição de livros.